iPhone “the only one” e a Fragmentação do Android

cdn.appleweblog.com.files.2010.05.iphone_vs_android_ufc

No principio existia um telefone, depois outros e várias marcas disseram isso é bom, vou criar um pra mim. Os clientes compravam e diziam, isso é bom, vou comprar e passar 3 anos com ele.

Foi então que daquele marasmo de tartaruga ao vendo ele surgiu, sim, “the only one” o iPhone, seria um pássaro, um avião, um telefone de ET, sim tudo isso, num único aparelho.

Não só um novo aparelho, não só um novo modelo de negocio, não só um computador de mão, mas tudo junto num só. Então o cliente viu e disse, isso é bom, eu QUERO!

Os fabricantes se desesperaram, a Microsoft e a Nokia não se importaram, ele foi crescendo, elitista, metido, nem todos poderiam ter um, alguns tinham para dizer que tinham e o modelo, siga a Apple e só faça o que eu quero e o que eu deixo imperou.

Alguns estavam felizes, não existia nada comparável, já outros, insatisfeitos com as restrições e o alto preço. Foi então, que de uma terra distante, numa “vista de montanha”(Mountain View) um robozinho verde surge ao vento, claro que não dava pra perceber, ele não tinha cabelo, ele era verde, ele era a nova esperança, bem era o que todos pensavam.

Mas você sabe como é tudo pode ser corrompido... Então muitos o abraçaram, alguns tiraram a corda do pescoço, como a Motorola, outros vislumbraram o topo como a Samsung, mas todos pensavam a mesma coisa: Vamos lucrrrrraaarrrr vendendo aparelho. E a Google disse, eu faço software, que precisa ser atualizado, estamos num infinito estado de BETA.

Foi então que o mercado foi invadido e muitos adotaram e muitos o amaram e muito sonharam com suas atualizações....só que atualização em cima de customização gera custo. E fabricante de celular só quer uma coisa, vender celular, atualizar é para os bobos e fracos, vamos lançar novos celulares pra você comprar, com o mesmo hardware, mas advinha, com um novo software, pensaram elas.

E os clientes não gostaram, e fizeram sinal de Não com a cabeça. E o sonho se desfragmenta, tal como o Windows, porém pior, visto que as versões saem depois de vários anos, o Android, vai sendo cada vez mais atualizado e os aparelhos vão ficando cada vez mais desatualizados. Já imaginou smartphone novo com Android 2.1 mesmo depois de termos aparelhos com 2.3 no mercado?

A fragmentação que parecia o calcanhar de Aquiles do Android está virando motivo de raiva e descontentamento por parte dos clientes e toda a ira está caindo em cima das mas/feias/bobas fabricantes, enquanto mamãe Google olha os filhotes ao longe e pensa: crescei e reproduzi, pois eu faço a minha parte atualizando. 2.3, 2.4, mais um sorvete....

No fim do espaço tempo, o iOS sorri, depois de fazer muxoxo por ver o seu primo verde se reproduzindo mais rápido que ele, e dizer que não quer brincar, ele começa a pensar um usuário de Android infeliz, pode ser um usuário de iPhone felicíssimo. E os olhos do cylon brilham em vermelho da esquerda para a direita.

E que continue a batalha, mas que as Fabricantes não matem o Android na praia, por favor, se não for pedir muito.

Obs: Isso é um conto, se você não tem senso de humor e não sabe brincar, conte até 10 e feche o navegador.

 

Rudolfh Bantim

Rudolfh Bantim

Consultor QlikView e Blogueiro de tecnologia.

2 comentários:

  1. Concordo totalmente. pra um usuário avançado ok, instala uma room customizada. No meu caso, não sou tão avançado, mas quero a atualização, e quanto a isso a Apple faz melhor que a as fabricantes. Esse é meu primeiro e último Samsung.

    ResponderExcluir
  2. Petters, é compreensível que é custoso, que tem um valor, mas o minimo que as fabricantes poderiam fazer é atualizar uma ou duas versões, pelo menos.

    ResponderExcluir