Telebrás contra-ataca

quinta-feira, maio 20, 2010 , , 0 Comments

Eu lembro do tempo que linha telefônica custava uma fortuna, os serviços eram ruins e para poucos a gente vivia de aluguel de linhas telefônicas. Bem, desse passado não sinto a mínima falta. Bem ou mal os serviços melhoraram os preços caíram, ainda não o suficiente é claro.

E principalmente, hoje um celular está acessível a maioria da população nacional. A universalização da voz está caminhando de vento em polpa, resta entrarmos com os dois pés no futuro dos “dados” ou como direi, tudo sendo dados, seja voz, imagem vídeo, tudo via internet.

Bem, nesse caso a banda larga ainda está longeeeeeee de se tornar “acessível”, nem o conceito de banda realmente larga é aceito ou reconhecido por todos. Visto que o governo quer lançar um plano de banda larga que visa levar 500kbps chamando isso de banda larga para os rincões do pais? Muitos ou poucos podem dizer, melhor que 500kbps do que nada, concordo integralmente.

Mas ambição é o que se espera de um governo ou governante de um país. E dinheiro não falta, todos sabemos. Então se pararmos um pouco e pensarmos no que temos hoje de banda larga disponível e imaginamos que estaremos na mesma em cinco anos, é demasiado ilusório. Visto que todos os outros países nos passam a perna, porque continuar deixando que o façam?

Bem, minha singela opinião, pensar em qualquer coisa a baixo de 100Mbps enquanto países da Ásia pensam em 1Gbps é o mínimo aceitável. Talvez os 100Mbps não cheguem a casa de todos, mas a intenção de leva-ló o mais longe possível é o que conta.

Hoje a Oi é um dos grandes fornecedores do governo em se tratando de telecomunicações, poderia ser a GVT pelo que ela vem demonstrando em se tratando de qualidade e preço, mas você sabe como é a politica…

Com a chegada da Telebrás, mais um cabide de empregos se abre, uma instituição que deveria só coordenar toda a verba do governo e levar a cabo o plano nacional de banda larga, se propõe mais do que isso, se propõe a colocar a mão na massa, e quem coloca a mão na massa eventualmente acaba se sujando. Como se sabe sempre a o risco de uma transferência de verba aqui e outra acolá.

Além do que as empresas de Telecom que pretendem investir no Brasil, podem segurar os seus investimento com medo da concorrência desleal do governo. Afinal, ele não vai pagar impostos para ele mesmo e vai ficar com contratos que antes seriam disponibilizados para a iniciativa privada. Por isso não vejo com bons olhos a reativação da antiga super mega boga Telebrás.

Acredito que precisamos de mais pequenas teles, mais eficientes e mais perto do cliente, do que de uma grande, gorda e lenta tele pública.

Rudolfh Bantim(Segurem seus bolsos o dinheiro sumiu….)

Rudolfh Bantim

Consultor QlikView e Blogueiro de tecnologia.

0 comentários: